Tapioca

 

A gente vê por aí, a febre da tapioca! Todo mundo diz que é saudável, que emagrece e é a comida da moda! Mas será que ela faz bem mesmo?

Extraída da fécula da mandioca, a tapioca está na moda entre aqueles que frequentam academia e são apreciadores de uma alimentação saudável.

No entanto, ela deve ser consumida com cautela. Isso porque, não podemos nos esquecer de que ela é uma farinha branca e, como tal, possui índice glicêmico elevado. Ou seja, ocorrerá um pico de insulina e isso favorecerá o depósito de gordura nas células. Além disso, por não conter fibras, desfavorece o funcionamento do intestino.

Uma forma de contornar essa situação é procurar acrescentar ingredientes como farelo de aveia, linhaça ou chia em seu preparo. Essas fibras vão ajudar a diminuir o índice glicêmico da tapioca e otimizar o funcionamento do sistema digestório.

Por último, vale a pena ressaltar que a escolha do recheio é primordial. Procure optar por proteínas magras, tais como cottage, ricota, queijo branco, frango, ovos ou peito de peru. A proteína vai ajudar a dar mais saciedade e colaborar com as fibras para reduzir ainda mais o índice glicêmico.

Por isso, pense bem antes de trocar aquele prato saudável por uma tapioca e pensar que está fazendo a melhor troca!

Pra acompanhar os posts todos os dias, curta a fan page!

Silvia Curtiu
Silvia Fonseca
Gordura Localizada

 

Ao iniciar uma rotina de exercícios, uma das grandes preocupações de todo mundo é se a gordura localizada irá sumir com o treino. E se alguém prometer isso a você, certamente será uma promessa falsa. Isso pode ou não acontecer!

Nenhum exercício é capaz de queimar gordura localizada, muito menos a musculação, na qual a gordura não é utilizada como fonte de energia. O que faz reduzir gordura é ter uma balanço calórico negativo, ou seja, ter gasto mais calorias do que ingeriu ao longo do dia.

Partindo desse princípio, o exercício ajuda na medida em que colabora com o incremento do gasto energético! E, mesmo assim, de onde o corpo retira gordura é determinado geneticamente. Por isso que muitas vezes a pessoa emagrece primeiro nos membros e depois na barriga. Ou emagrece primeiro na barriga e depois nos braços.

Infelizmente, receitas milagrosas não existem! A recomendação é fazer do exercício um hábito, saber se alimentar corretamente, que, com certeza, os resultados virão de forma gradativa e duradoura!

Silvia Curtiu
Silvia Fonseca
Carboidratos

 

“A gordura queima numa chama de carboidratos.” Essa é uma frase famosa nos livros de fisiologia. Apesar de ser uma frase consagrada, muitas dietas teimam em cortar esse nutriente tão importante!

No processo da queima da gordura, nosso organismo utiliza um substrato proveniente do carboidrato. Na ausência desse, o corpo utiliza a proteína para substituí-lo. E, onde temos mais proteína? Nos nossos músculos!

Porém, perder músculo é sinônimo de engordar, pois o gasto calórico tanto em repouso quanto em exercício vai diminuir! Lá se vai todo o esforço na academia…

Temos que olhar para o carboidrato como um coadjuvante no emagrecimento! Mas não qualquer carboidrato! Temos que saber escolher! Sempre preferir os carboidratos integrais, de baixo índice glicêmico e aqueles provenientes de frutas e legumes!

Vale ressaltar que as dietas unicamente proteicas (principalmente às de origem animal),  comprovadamente trazem riscos à saúde, pois aumentam as chances de desenvolver câncer, diabetes e problemas cardíacos! Além de efeitos colaterais como: dor de cabeça, mau hálito, falta de energia e intestino preso (falta de fibras)!

E, não se iluda, grande parte do peso perdido nesse tipo de dieta é oriundo da perda de líquido devido à falta de carboidrato!

Silvia Curtiu
Silvia Fonseca
12345
Se inscreva no mailing!
Seja convidado pra eventos e receba atualizações!