Sport

 

Usar ou não usar. Eis a questão. Muita gente argumentará que academia não é lugar de perfume, enquanto outros defenderão seu uso até a morte. De qualquer forma, não existe nada mais indelicado do que o seu vizinho de esteira exalar 1 Million. Aquele cheiro de balada será eficientemente projetado com o calor do corpo, e pairará sobre você como uma nuvem.

Um perfume sport não é simplesmente aquele que é mais leve. Assim como uma loção pós-barba tem a função de acalmar a pele, o perfume sport tem a função de refrescar. Ele tem o poder de tornar a atividade física mais gostosa e menos penosa, tanto para quem usa como para quem está por perto.

 

 

Dior Homme

Dior Homme Cologne

A formulação do Dior Homme Sport em 2008 deixou-o com menos cara de perfume sport. Em 2013 a Dior lançou a versão cologne, surpreendendo a muitos que começaram a perder confiança na marca. Dior Homme Cologne é simplesmente uma colônia deliciosa com uma nota marcante de grapefruit (toranja). Para mim, ele lembra muito o aroma da Novalgina efervescente, o que a torna muito mais fácil de ser ingerida. Tem um desempenho espetacular na pele e resiste a muitas flexões.  

 

 

 

Allure Sport

Allure Homme Sport (Chanel)

Extremamente versátil, Allure Homme Sport não só é excelente para atividades físicas como também para trabalhar ou até para ir pra balada numa noite quente. Diferente da maioria dos perfumes sport, esta fragrância tem notas orientais como fava tonka (um amendoado docinho), âmbar e pimenta. No entanto, suas notas cítricas e oceânicas, iluminadas por aldeídos e amaciadas por almíscar, torna-o o perfume sport mais sexy disponível no mercado. As mina pira.

 

Guerlain

Guerlain Homme L’Eau

Atenção para não confundir com o Guerlain Homme que, apesar de ser uma ótima fragrância, é bem diferente da versão colônia. L’Eau é para quem gosta daquele perfume gelado, com uma vibe de mojito por conta de suas notas de limão, menta e rum. O amargo vetiver da versão tradicional dá lugar à doçura da grapefruit, ou seja, menos seriedade e mais leveza. Com uma evolução fantástica na pele, só perde pontos por ser mais difícil de encontrar e, portanto, mais caro. Compre logo antes que seja descontinuado.

 

 

 

Versace

Versace Man Eau Fraiche

Um sucesso de vendas no mundo inteiro, este perfume ofuscou até mesmo sua versão original – o Versace Man. A nota enorme de tabaco e o clima sedutor do original deu lugar a frutas cítricas (curiosamente incluindo carambola) e um clima descontraído no flanker (versão). Foi concebido com inspiração no Mediterrâneo e suas árvores e frutas típicas. Versace Man Eau Fraiche é a alternativa mais amadeirada da lista, e por isso tem mais textura que os outros.

 

Azzaro

Chrome Sport (Azzaro)

Lançado em 2010 com vistas ao público jovem, este perfume, assim como outros da casa Azzaro, acabou sendo menosprezado e esquecido. Muito confortável e refrescante, Chrome Sport traz, além das notas óbvias cítricas e aquáticas, uma especiaria fria que dá aquela pitada de malandragem – o gengibre. Alguns podem reclamar de seu ar sintético (moléculas tentando reproduzir um aroma de grama recém-cortada, por exemplo), mas eu não tenho preconceito. Se gostou, tá valendo.

Outros perfumes que poderiam entrar nesta lista: Kenzo Homme Sport, L’Eau d’Issey Sport, Polo Blue, Blue Seduction e Lanvin Sport. O importante é não cair na armadilha dos flankers. A forma mais fácil das casas de perfume aumentar suas receitas é lançando versões de fragrâncias que deram certo. Potencialmente qualquer perfume pode ter sua versão esportiva; realisticamente poucos realmente passam no teste da academia.

Para acompanhar os posts todos os dias, curta a fan page do ESTILO T | Blog de Moda Masculina

Daniel Barros

Perfumes Femininos para Homens

 

Casas de perfume de nicho, em sua grande maioria, não classificam suas obras em masculino ou feminino. Não é só uma questão de otimização da produção. De fato seu público-alvo – formado pelos connoisseurs – já venceu a barreira do marketing e se importam primordialmente com o líquido. As marcas de nicho deixam a cargo de seus clientes a decisão sobre o grau de masculinidade (ou feminilidade) que uma fragrância pode transmitir.

No outro extremo, as grandes marcas da indústria rotulam seus perfumes conforme a adequação dentro do portfólio, a receptividade do mercado e o retorno financeiro. Mas então como inovar se tudo serve uma proposta racional? É por isso que, oportunamente, precisamos quebrar o preconceito e pular a cerca. Uma fragrância feminina pode cair bem num machão – a impressão é sempre resultante da interação do cheiro com a atitude de quem o exala.

 

 

Tommy Girl Perfume

Tommy Girl

Barato e subestimado, foi um projeto da perfumista Calice Becker que ficou engavetado por muitos anos por ser muito inovador. Tommy Hilfiger apostou na fórmula inusitada a base de chá e lançou a fragrância em 1996 para adolescentes americanas. Deliciosamente fresco, Tommy Girl nasce e morre cítrico mentolado, passando por várias fases florais (madressilva, rosa, jasmim, violeta, lírio, magnólia, camélia). O ferrenho crítico Luca Turin descreve-o como o sopro dos anjos.

 

 

Bandit Perfume

Bandit (Piguet)

Assim como os fougères são tipicamente masculinos, os chypres são vistos como femininos. Bandit é um clássico exemplo do gênero (que consiste basicamente de um acorde musgo de carvalho-bergamota), criado em 1944 e reformulado em 1999. Este é um chipre bem especial por ter notas agressivas de couro e civet (extrato da glândula de um felino selvagem). Somado a tudo isso, flores brancas, gálbano e mirra. É um perfume rococó, de vários ângulos, ideal para homens poderosos de coração mole.

 

 

Funny Moschino Perfume

Funny! (Moschino)

Homens que gostam de um perfume fresco diferenciado e moderno deveriam provar este delicioso perfume da casa Moschino. Também a base de chá como o Tommy Girl, Funny! é menos floral e mais picante, pero no mucho. Dá pra sentir bem a pimenta vermelha, dando um pouco mais de maturidade à fragrância, mas ainda assim com a doçura ácida de uma grapefruit (toranja). É alegre, divertido e bem-humorado como o próprio nome propõe.

 

 

Diorella Perfume

Diorella

Talvez o melhor chipre floral já criado, este perfume da casa Dior simboliza a liberdade dos anos 70. Diorella segue um caminho diferente do Bandit, e firma-se no acorde manjericão-limão. Pode remeter um pouco ao Eau Sauvage, mas se distancia ao trazer notas de jasmim, pêssego, rosa e melão. O musgo e o vetiver dão uma amargada na receita, criando um clima chique e austero ainda que fresco. A versão reformulada é moderna e mais macia que a original. Tem cheiro de casa europeia na primavera.

 

 

Prada Candy Perfume

Prada Candy

Uma palavra para descrever este perfume: caramelo. Depois de alguns dias usando o Candy dá pra pensar também em pipoca doce, bala toffee, açúcar queimado e doce de leite. Esta fragrância é um belíssimo exemplo do gênero gourmand – perfumes com odor “comestível”. É onde o olfato e o paladar se cruzam. Mas seria interessante ter cheiro de sobremesa? Muitos acham que sim, outros não. Eu acho complicado usar Candy para ir trabalhar, mas é perfeito para dormir gostoso.

É sempre difícil falar de apenas cinco perfumes quando existem tantas possibilidades. Outros que poderiam estar nesta lista: Black Orchid de Tom Ford (um delicioso floral achocolatado), Visa de Robert Piguet (um tutti-frutti resinado) e Kenzo Amour (um reconfortante pão-de-ló), e, como não poderiam faltar, as obras-primas da Guerlain Shalimar (melhor oriental de todos os tempos), Après l’Ondée (melhor cheiro de banho do mundo) e o novíssimo Un Petite Robe Noire (um delicioso gourmand  com cheiro de pâtisserie).

Para acompanhar os posts todos os dias, curta a fan page do ESTILO T | Blog de Moda Masculina

Daniel_Barros Curtiu
Daniel Barros
Perfumes Aquaticos

 

Uma das famílias olfativas mais controversas – e curiosamente popular no Brasil – é a dos perfumes aquáticos. Um perfume aquático reúne notas que remetem à praia e piscina, ou às vezes a saunas e vestiários. Sua receita é uma combinação de notas críticas, florais, herbais ou sintéticas, quase sempre temperadas com especiarias, chá ou almíscar. Muitos acham que tem “vibe” mentolada de barbearia.

É condição sine qua non para uma fragrância aquática ter um aspecto refrescante, limpo e crocante. Talvez por isso faça tanto sucesso no Brasil – além da necessidade óbvia por perfumes mais frescos, o brasileiro aprecia a sensação de limpeza e masculinidade. Em países de clima frio ou temperado, perfumes aquáticos naturalmente sofrem certa rejeição.

 

 

Davidoff Perfume

Cool Water (Davidoff)

O rei dos mentolados, Cool Water foi lançado em 1988 e talvez seja o perfume mais copiado de todos os tempos. Difícil não associá-lo a um jovem com o cabelo cheio de gel e camisa aberta para mostrar o peito cabeludo e conquistar as moças. É nisso que dá colocar notas tão masculinas quanto lavanda, menta e tabaco num mesmo perfume. Embora extremamente popular, é impossível não reconhecer a beleza e o desempenho extraordinário desta obra-prima.

Leau Dissey Perfume

L’Eau d’Issey

Esta é a fragrância referência do mundo aquático. Foi Issey Miyake, exatamente 20 anos atrás, que introduziu a molécula sintética calone na perfumaria. Calone traz um aspecto aquático puxando um pouco para o melão ou melancia. L’Eau d’Issey é um dos aquáticos mais completos, reunindo em sua composição flores (flor de Lótus, gerânio, lírio do vale), frutas cítricas (limão, laranja, bergamota, yuzu), especiarias (açafrão, noz moscada, coentro, canela) e herbais (sálvia, verbena, estragão), além de vetiver e almíscar. Um clássico.

 

 

Bleu Chanel Perfume

Bleu de Chanel

O mais sexy de todos os aquáticos, Bleu pode até ser usado à noite, como mesmo insinua sua campanha publicitária. O que faz dele sexy? Pitadas de incenso, pimenta vermelha, gengibre e noz moscada. Para mim Bleu remete à imagem de um homem moderno, com um look afiado e de intenções bem definidas. As mulheres adoram e só deve usar quem sabe dar conta. Eu aplaudo a Chanel por ousar ao sair um pouco do clássico e abordar um ângulo mais provocante.

 

 

Acqua di Gio Perfume

Acqua di Giò (Armani)

Lançado dois anos depois do L’Eau d’Issey pela casa Armani, Acqua di Giò fez tanto sucesso que se tornou óbvio e comum. Acaba servindo de presente quando não se sabe o gosto do presenteado. Na mesma linha do Issey, este Armani é um pot-pourri de notas: frutas cítricas, especiarias, almíscar, musgo de carvalho e flores diversas (jasmim, fresia, rosa, jacinto, cíclame e violeta), além é claro da molécula calone. Tudo isso para fazer você se sentir tomando banho de sol numa praia, livre, leve e solto.

 

 

Bvlgari Acqua Perfume

Bvlgari Aqva

A casa Bvlgari abordou outra perspectiva ao encomendar sua fragrância aquática: algas marinhas. Bem menos complexo que os demais, Aqva privilegia o aroma verde escuro e deixa um âmbar mineral e notas amadeiradas como impressões de fundo. Perfeito para levar numa viagem para a praia ou cruzeiro. Este é para quem gosta de aquático sem restrições.

São perfumes “batidos”? Sim. Mas são eficientes. Funcionam bem na pele de quase todo mundo, atraem a mulherada e ofendem quase ninguém.

Para acompanhar os posts todos os dias, curta a fan page do ESTILO T | Blog de Moda Masculina

Daniel_Barros Curtiu
Daniel Barros
34567
Se inscreva no mailing!
Seja convidado pra eventos e receba atualizações!