Marcelu Ferraz

Com seu olhar voltado para o universo masculino, Marcelu Ferraz busca inspiração nas paisagens brasileiras e na fauna marítima para compor a sua Coleção de Verão 2017.

A marca aposta em camisetas, camisas, regatas, bermudas e calças com estampas de corais, flores, folhas secas, coqueiros e formas psicodélicas. Os tecidos usados são: neoprene, tela, nylon, malha, linho, viscose e alfaiataria.

Personalidades como Di Ferrero, Carlinhos Brown, Tico Santa Cruz, Paulo Ricardo, Arlindo Grund, Marco Antonio de Biaggi e até Adriane Galisteu – que gosta de investir em peças de meninos para o seu guarda roupa – vestem Marcelu Ferraz.

A campanha foi fotografada por Hudson Henann com os modelos Guilherme Franco e Rodrigo Somalia (Ford Models), styling de Milton Filho e beleza de Felipe Espindola.

A marca também investe nas vendas online e lança uma plataforma com todas as peças da coleção. “Temos muitos clientes em outros estados e o nosso objetivo é que estes consumidores também tenham acesso aos nossos produtos através do site”, comenta Marcelu.

Acesse: http://loja.marceluferraz.com.br

Marcelu Ferraz Marcelu Ferraz Marcelu Ferraz
Tonanni

Que o eixo Rio – São Paulo é muito bem servido de restaurantes da mais alta categoria, não há dúvidas. Mas quando é o guia francês Michelin que atesta, não podemos deixar de notar alguns lugares, principalmente aqueles que foram inaugurados há pouco tempo e que já estão fazendo história.

Para além do D.O.M, de Alex Atala, que foi o único restaurante nacional a receber duas estrelas do guia na publicação de 2016, e do Maní, premiado com uma estrela, existem casas novas e outras nem tanto que realmente valem a visita de quem está em terras paulistanas ou cariocas.

Aqui vão cinco opções bacanérrimas para você se esbaldar em suas próximas saídas em uma das duas capitais.

Restaurante Mee

Mee
O primeiro restaurante pan-asiático do Rio de Janeiro fica dentro do hotel Belmond Copacabana Palace e propõe uma viagem à gastronomia asiática com opções de pratos da cozinha tailandesa, coreana, vietnamita, chinesa e japonesa. Sob a batuta do chef paulitano de origem japonesa Kazuo Harada, o restaurante, cujo nome significa beleza em coreano, recebeu uma estrela do Guia Michelin em 2016. Quem visita esse reduto asiático em Copacabana, não deixa de reparar no sushi bar, cujo menu exclusivo chamado Omakase Itamae obedece aos mesmos princípios dos tradicionais sushi bares japoneses. Opções quentes como camarão com nozes caramelizadas, além de um menu degustação de Dim Sums (bocadinhos chineses) e uma carta com saquês de diferentes regiões do Japão complementam a experiência.

Restaurante Tete a Tete

Tête a Tête
Gabriel Matteuzi e Guilhereme Vinha são os jovens chefs idealizadores do restaurante Tête a Tête. Os dois se conheceram quando trabalhavaram no D.O.M. E, depois de um ano que permaneceram juntos na cozinha de Atala, decidiram montar a sociedade, mas antes de começarem a passaram 25 dias na Europa pesquisando restaurantes estrelados e buscando inspiração. No Tête a Tête, a dupla foca na cozinha de ingrediente em um cardápio que reúne clássicos da cozinha mundial com um toque de brasilidade. Com menus sazonais e diferentes formatos de degustação dos pratos, aposta em receitas como a bochecha de boi servida com vinagrete de carne, cebola caramelizada e azedinha que lhe conferiram a primeira estrela Michelin no guia publicado neste ano.

Restaurante Tuju

Tuju
Aberto há dois anos no coração da Vila Madalena, em São Paulo, o restaurante comandado pelo jovem chef Ivan Ralston tinha apenas oito meses quando recebeu sua primeira estrela Michelin, em 2015. Agraciada novamente com uma estrela pela edição de 2016, a casa aposta em uma forte pesquisa de ingredientes tipicamente brasileiros preparados com técnicas apuradas. A relação estreita com os fornecedores e a horta posicionada na frente do restaurante, onde são cultivadas mais de 350 espécies comestíveis, são outras demonstrações da importância do ingrediente e das relações humanas para a filosofia do lugar. Para provar as criações de Ivan, pode-se optar por um menu que varia quinzenalmente e que pode conter 15, cinco ou três pratos ou pelas sugestões à la carte.

tujuw
Restaurante Kosushi

Kosushi
Aberto em 1986 como um dos primeiros restaurantes japoneses fora do bairro da Liberdade, em São Paulo, o Kosushi apresenta uma mescla perfeita entre a tradição e a modernidade, que é visível na decoração minimalista do salão assinado pelo arquiteto Arthur Casas. O conceito do lugar está baseado na excelência milenar nipônica que pode ser comporvada nos sushis e sashimis preparados à perfeição pelo sushiman e sócio da casa, George Koshoji. Experiente, o chef sabe que a diferença de sua cozinha está nos peixes comprados diariamente e na utilização de produtos de época, que ajudam a manter a alta qualidade da matéria-prima, assim como a variedade para os clientes, que são marjoritariamente habituès de longa data. O reconhecimento vem também pela crítica especializada que acaba de lhe conferir uma estrela Michelin.

Restaurante Eleven

Eleven
Com matriz em Lisboa, o Eleven Rio abriu há pouco mais de um ano e já se tornou um dos melhores redutos gastronômicos da Cidade Maravilhosa, não à toa, recebeu sua primeira estrela Michelin em 2016. Colecionador de 14 estrelas do guia pelas casas que comandou na Europa, o chef alemão Joachim Koerpe acredita em uma cozinha de mercado e sazonal, pois aproveita os ingredientes frescos disponíveis em cada dia, em cada época do ano. Seu trunfo é oferecer uma cozinha de sentidos, que explora o olfato e a visão para além do paladar.

Com fortes influências ibéricas e mediterrâneas, seus menus-degustação podem apresentar sugestões como o lagostim com emulsão de tomate, salsa e azeite e a costela de angus cozida em baixa temperatura com nhoque de limão-siciliano, ervilha e molho de vinho tinto. A opção de menu surpresa também pode ser interessante para aqueles que adoram uma experiência gastronômica.

Tonanni

Verde! Verde! Minha cor preferida desde sempre! As vezes fico flutuando entre o azul e o verde, mas no fim das contas sempre decido que minha cor preferida é verde.

O look de hoje é uma coisa meio Bruce Wayne! Blazer de veludo com gravata borboleta! Gosto bastante do blazer de veludo e gostaria de ter mais cores dessa peça, acho tão elegante!

A gravata borboleta nem se fala, curto muito! Pena que os brasileiros ainda tem receio de usar! Sempre falo que não precisa ir numa festa de gala pra usar, mas ainda há resistência!

Abs
Tonanni

Tonanni Veludo Moda Masculina Tonanni Veludo Moda Masculina Tonanni Veludo Moda Masculina
Tonanni Veludo Moda Masculina
Tonanni Veludo Moda Masculina

Photos: Ivan Stamato
Blazer: Zara
Gravata Borboleta: Acervo Pessoal
Jeans: Diesel
Sapato: Salvatore Ferragamo

Tonanni
34567
Se inscreva no mailing!
Seja convidado pra eventos e receba atualizações!